Friday, May 21, 2010

Caminho


imagem daqui

"Estou neste cruzamento a que chamam vida. À minha frente vejo uma infinidade de caminhos que se cruzam e descruzam. Pondero qual devo tomar, qual dos caminhos me levará até ti? Avanço céptica, carente da tua ausência, se ao menos me desses um sinal, me indicasses qual o caminho mais curto para poder chegar até ti. Esta incerteza de não saber o caminho a tomar, é sedutora em muitas formas, mas hoje, depois de tantos caminhos que só me afastaram cada vez mais de ti, está aos poucos a perder-se essa ilusão. Já experimentei virar á esquerda, já virei á direita, já segui em frente, já retrocedi. E nem um vislumbre de ti. Imagino teu sorriso, a observar este meu caminho errante, gostas de te fazer de difícil é? Sabes seria tão mais fácil se também tu pusesses pés ao caminho, viesses ao meu encontro. Estou cansada de tomar os caminhos errados, sinto-me desolada quando chego ao fim e não te encontro, ou encontro sósias de ti. Sei que existes, meu coração me diz que sim. Mas porque é tão difícil? Hoje estou aqui prostrada mais uma vez neste cruzamento. Olho para um lado, olho para o outro. Procuro os sinais que me indiquem em que ponto te encontras, tento que a brisa me conduza, espero que o sol ilumine meu caminho. Procuro nos sinais da natureza a indicação do caminho a seguir. O coelho que escolhe o caminho da direita, o passarinho que voa em direcção oposta. Estou confusa nem a natureza é minha aliada nesta minha busca. Hoje apetece-me desistir de te procurar. Faço birra tal e qual uma criança mimada, choro lágrimas de frustração por me sentir cada vez mais longe. Hoje sento-me aqui neste cruzamento, com todos os caminhos em aberto. Hoje pela primeira vez em muito tempo não encontro a firmeza necessária para escolher por onde seguir. Hoje só queria que escolhessem o caminho para mim, não ter que ser eu a tomar a opção errada que mais uma vez me afastará de ti. Mas será que afasta mesmo? Oh incerteza cruel de saber o que nos espera não é? Mas se realmente soubéssemos o que nos espera no fim de cada caminho que traçamos, será que os faríamos com a mesma garra, a mesma vontade? Provavelmente não. A procura pelo caminho que me levará até ti, é a chama que me mantém agarrada a vida, é a força que finca meus pés, diminui o cansaço das minhas pernas quando elas se recusam a andar. Paro, escuto, avanço. Sem medos, Sem reservas. Afastando de mim a vontade de desistir de te procurar, abafando as vozes que me dizem que essa procura não me leva a lugar algum, que o que é meu virá ter comigo. Mas não sei ser paciente. Não sei esperar que chegues até mim. E se não me encontras? E se o teu caminho se desvia do meu, por qualquer casualidade da vida? Não. Tenho que ser eu a desvendar qual o caminho certo a percorrer. qual o ponto da vida em que terei que virar, em que tirei que seguir em frente. Certa de que no fim desse caminho que escolhi estarás tu, de braços abertos, para me acolheres em teus braços, afagar meu cabelo, beijar meus lábios. Sei que vais estar, sinto isso, por isso só te peço, espera por mim, SIM? "


Autoria: Poetic Girl
P.S. Não se esqueçam do desafio que lancei neste post
TEMA: Poesia
Prazo das participações: Todo o mês de Junho
Enviar para : justmepoeticgirl@gmail.com
Resultados serão anunciados a 17 de Julho

Participação especial para o Blog "Caminhos da Camila" sobre o tema "CAMINHOS"

3 comments:

Deia said...

Muito Bonito! Parabéns!

Poetic GIRL said...

Deia: Obrigada! beijoca

Brown Eyes said...

Excelente. Beijinhos