Tuesday, November 24, 2009

Momento: a duas vozes (parte V)

ELE

"Sua voz soou me estranha ao telefone, talvez até de certa forma evasiva. Senti me apreensivo, o meu coração bateu mais forte. Voltei a pegar no telefone com intenção de lhe voltar a ligar. Cancelei mesmo antes de estabelecer a ligação. Olhei pela janela, estava um rigoroso dia de inverno, chovia lá fora, tal como chovia dentro da minha alma. Tinha que tomar uma atitude, tinha perfeita consciência disso. Mas qual? Ao nível de envolvimento emocional a que tinhamos chegado não me parecia que houvesse muitas alternativas para nós. Só via dois caminhos, ou bem que arriscava ou bem que não. Recordei a noite de ontem, o momento em que a acompanhei a casa, Recordo me do quanto me foi custoso o afastamento físico dela. Imaginei o que seria sentir seus lábios nos meus, sentir o seu corpo colado ao meu, como se fossemos um só. Senti que ela esperava esse passo de mim, seus olhos imploravam por uma resposta, denotavam uma interrogação bem latente. Porque não? Porque não? pergunto me eu. Eu sei bem porquê. Não estaria esse porquê na base de tudo o resto? Não seria esse porquê a razão de eu não me dever envolver mais? Então pergunto me para que avanças-te até aqui? Não tenho resposta, foi algo superior a mim, superior ás minhas forças, superior a mesmo tudo. A questão é que eu não me queria afastar, não queria ter que desistir deste amor que crescia a olhos vistos. Sentia a cada momento o grau de envolvência por parte dela, senti as suas defesas aos poucos cairem por terra, sentia na minha pele a desilusão do seu olhar de cada vez que nos despediamos com um beijo singelo na face, quando ambos ardiamos de vontade de tornar o momento mais eterno. Sabia que estava a arriscar deixá-la fugir por entre os meus dedos. Lembro me da dor alucinante que tive quando se reencontrou com o seu ex namorado numa das nossas saídas. Fiquei possesso de ciumes. Cobrei lhe algo que não tinha direito de cobrar. Ela respondeu me, justificou-se. Não o deveria ter feito, quem era eu para lhe cobrar algo quando não assumia nada em concreto. Perguntou me o porquê do meu comportamento, que me tentava entender, mas não conseguia. Perguntou me directamente que sentia por ela. Respondi: Amor. "Estranha forma de amares tu tens" foi a resposta que obtive, Vislumbrei a lágrima que escorreu por seu rosto mas não fui capaz de a enxugar. Acusou me de me aproveitar dos seus sentimentos, de brincar com ela, como se fosse uma marioneta. Doeu-me. Suas palavras foram duras, azedas, palavras que não esperava que ela me dissesse. Mas sei que as mereci. Merecia cada uma delas. E aqui estou eu, neste ambiente que me é tão familiar, mas que está ausente da sua presença. Sei que estou na encruzilhada que a custo tentei evitar. Se uma parte de mim anseia por sair por aquela porta, tomar a atitude que todo o meu ser anseia, a outra mais racional, diz me que não devo pensar apenas em mim. Não está em jogo apenas os meus sentimentos, os sentimentos dela, mas os sentimentos de mais alguém que não pediu para ser envolvido nesta história. Primeiro devo ter consciência que qualquer que fosse a minha decisão, haveria sempre alguém magoado. Era inevitável. Suspirei. Era tarde, devia me deitar, Olhei para os retratos que pousavam serenos no armário da sala. Retratos de momentos outrora felizes que nunca mais voltariam. Toquei ao de leve um rosto deveras familiar, poderia ainda doer tanto? "

6 comments:

Brown Eyes said...

Só para te dizer que está lindo. Amanhã volto para ler. Já estás naquele cantinho especial lá em casa.
Beijinhos.

Libelinha said...

Mas quem?... Quem é que está envolvido e não pediu?... Ai a porra do suspense, lol!... Estou mesmo envolvida na história!... Continua!!!...

Beijinhos ;P

diz q disse said...

BELA história.....

Bjs

Brown Eyes said...

Bela consegues descrever tão bem os sentimentos e as sensações de alguém apaixonado. Estou a adorar e ansiosa por saber qual é o segredo que leva a tanta hesitação.
A qualidade cresce.
Beijinhos Linda.

Poetic GIRL - BELA said...

Brown eyes, Libelinha, Daniel: Obrigada a todos, voçês são os meus três motivadores :) se a história tem chegado até aqui a culpa é vossa. Deram corda á minha imaginação... obrigada pelo apoio... bjs

Iúri "Zúluri Regueiro" said...

zion Pavillion..autentico e escrito por mim...visita e boas vibrações estao la metodas...o meu mail para leitores particulares tambem....Paz e Boas vibraçoes dum pequeno Rasta que escreve na blogoesfera

Jah Bless u alll